Humanização

O movimento de humanização do parto tem conquistado, com muita luta e união, mais espaço entre mulheres, homens e profissionais.
A palavra “humanizado” pode parecer contraditória para alguns, afinal, já não é humanizada uma assistência dada e recebida por pessoas, por humanos?
A palavra também pode parecer repetitiva, modismo ou ainda privilégio, já que acaba sendo ligada ao acesso a um serviço particular. Pode ainda, ser relacionada a naturalistas ou ao retrocesso, como por exemplo, assistência sem segurança e com menos profissionais.

aline_05Para nós, que atuamos diretamente na cena de humazanização, faz muito sentido humanizar a assistência. Procurando significados diretos dos termos, humanização está ligada a tornar-se benévolo e, o humanismo está ligado a potencialidade, livre-arbítrio, criação e transformação. Já quando falamos sobre humanização da saúde, o foco se dá para – em diferentes literaturas e referências, inclusive de políticas públicas de assistência – a mudança das práticas para uma melhor relação entre profissionais e usuários.

Quando pensamos em humanização da assistência à mulher, gestante e binômio mãe-bebê, vamos um pouco além disso… Humanizar o parto é entender a mulher como um ser individual, com potencialidades e história distinta, também é encontrar dentro dos profissionais, as melhores ferramentas de atuação para esse histórico e pessoa, atuando com respaldo nas evidências científicas.

Sobre a tríade MULHER (como protagonista, responsável pelas suas escolhas e manifestação de suas vontades), EVIDÊNCIA (que dá respaldo a segurança e do melhor desfecho) e PROFISSIONAL (que deve ter a capacidade da empatia, respeito e avaliação criteriosa da individualidade somada as evidências), temos uma definição completa de humanização.

Portanto, a humanização é dar a melhor assistência ao outro, de forma empática, profissional e segura, sem julgamentos ou pré-conceitos pessoais, respeitando a autonomia e levando informação baseada em evidências científicas.

Não é um caminho fácil se despir de carcaças profissionais e pessoais que adquirimos com o tempo, mas é um presente poder respirar fundo, colocar os dois pés no chão, olhar nos olhos das mulheres, famílias e com segurança, dar o melhor naquele momento.