Buscar
  • Bem Gerar

Relato de parto Carla Siqueira

"A voz do anjo Sussurrou no meu ouvido Eu não duvido Já escuto os teus sinais Que tu virias

Numa manhã de domingo Eu te anuncio Nos sinos das catedrais" Mais precisamente em uma madrugada de domingo, atendendo aos desejos das pessoas que mais te esperavam ansiosas. Da mamãe em deixar a casa arrumada p te receber, do papai em esperar as férias começarem e da tia Clara que só podia assistir a sua chegada se fosse em um final de semana... João chegou estreando, em um trabalho de parto manso, que começou por volta das 3h40 do sábado, qdo as primeiras contrações iniciaram e eu nem dei tanta importância, achei q fossem isoladas, às 6h00 papai saiu pra trabalhar, Pedro dormindo em seu quarto e eu resolvi ir para sala, assistir a um filme e tomar uma xícara de leite com achocolatado e bolacha champanhe... Ainda estava com contrações, a cada meia hora, 40 minutos, uma hora, sem rítmo nenhum, então acabei adormecendo e acordei por volta de 10h00, logo em seguida o Pedro acordou, tomamos café da manhã, enrolamos um pouco e fui dar banho e arrumá-lo para um compromisso em outra cidade. Logo em seguida eu tomei banho e aquelas contrações esporádicas, ritimaram, ficaram em um intervalo de 20 a 25 minutos, vinham como uma onda...

Enquanto terminava de me aprontar, minha irmã chegou para deixar o carro comigo, entretanto, ao perceber q as contrações estavam ritimadas deixei de lado o compromisso em outra cidade e fui passar a tarde na casa da minha madrinha, onde almocei e ficamos conversando eu, minha irmã e ela. Foi aí que liguei para a minha doula e contei a situação, fiquei de retornar caso houvesse alguma evolução. Liguei para o marido, que queria largar tudo achando q já estava nascendo, daí expliquei que iria mais umas longas horas, que ele poderia ficar tranquilo e avisei meus pais, que moram em outra cidade.

Quando o intervalo das contrações diminuíram para entre 10 a 15 minutos resolvi ir p casa, minha irmã me levou, porém antes paramos no mercado fazer compras, pois passei tanta fome quando o Pedro nasceu que queria deixar a casa abastecida de petiscos gostosos, quando vinha uma contração parávamos e esperarávamos passar, até que chegamos em casa. Neste momento meu marido TB chegou e perguntou se eu realmente não queria ir para o hospital, minha resposta foi não...

Guardamos as compras, comi as frutas picadas que havia comprado e deitei na cama do Pedro, com a janela aberta, estava batendo uma brisa gostosa, a cada contração perguntava a hora ao meu marido, que estava na sala brincando com o Pedro e assim fomos controlando os intervalos, que continuavam os mesmos. Minha irmã voltou para a casa da madrinha e ficou de voltar caso houvesse alguma mudança no quadro. Pedro dormiu por volta de 22h00 e como tinha que liberar a cama para ele, resolvi dar uma volta pelo condomínio e usar o aplicativo de controle de contrações. Nesta caminhada, tive três contrações e uma súbita dor de barriga, voltei pra casa desesperada para usar o banheiro, enquanto isso pedi a minha irmã que ligasse para a Michelle (doula) pois as contrações estavam cada vez mais longas, antes duravam de 30 a 40 segundos, agora estavam durando por volta de 1minuto e meio e mandei no grupo de WhatsApp que formamos com a equipe, o Braulio (médico) perguntou a intensidade da dor (fraca, média ou forte) que naquele momento estava de média para perdendo o controle, além disso informei que estava presa no banheiro, pois ainda estava com dor de barriga. A Ana (obstetriz), que tinha acabado de chegar de Belo Horizonte, resolveu ir até em casa, enquanto a Michelle já estava a caminho e minha irmã TB. Como moramos em condomínios vizinhos a Ana chegou rápido, foi o tempo de eu sair do banheiro e da minha irmã chegar para recebê-la. O Adriano (marido) ainda estava meio incrédulo, ele aceitou o parto domiciliar, mas ainda não tinha caído a ficha dele. Quando a Ana chegou até me propus a recebê-la na portaria, mas as contrações diminuíram o tempo de intervalo para 5 minutos em média, desisti de ir. A Ana chegou e fez um exame de toque, o único que foi feito durante todo o trabalho de parto, mas o colo estava tão apagado que foi difícil, cogitamos dilatação total, mas na contração seguinte foi verificado 8 cm... Eu calculava uns 5 cm sendo beeeem otimista, as contrações estavam tranquilas para 8 cm, imaginava algo bem mais forte... Ela avisou o Braulio, que veio rapidinho e chegou junto com a Michelle, por volta de 0h40, ele TB mora em um condomínio vizinho. Neste tempo, escutamos os batimentos do João, estava tudo em ordem, eu estava rindo e conversando entre uma contração e outra, tanto que todos nós achávamos que ia mais pelo menos umas duas ou três horas... A cada contração eu ficava em pé e me apoiava na cama, nos intervalos eu sentava e continuava como se nada estivesse acontecendo, o Braulio ofereceu de apagar as luzes, mas queria manter o controle e a luz apagada iria atrapalhar, só lembro da Ana dizendo que eu era totalmente atípica... Rsrsrs A Michelle ficou comigo no quarto enquanto a Ana, o Braulio e o Adriano organizavam as coisas, minha irmã estava lá e cá, ora com eles, ora comigo. O Pedro batendo o maior papo com Morfeu (dormindo pesado, não viu nada da movimentação) rsrsrs De repente vieram duas contrações seguidas e na última delas o João desceu e a bolsa estourou... Daí já gritei q ele ia nascer, pedi a banqueta (santa banqueta) pois não conseguiria sustentar a posição de cócoras nas pernas e correu todo mundo para o quarto. Nessa hora a dor apertou, aliás aí eu perdi o controle, queimava a minha alma, as contrações deram uma pausa, estava no tal círculo de fogo (e põe fogo nisso! Rsrsrs) Hora da surpresa!!! Acho que aí caiu a ficha do Adriano... Braulio colocou ele de frente comigo, para receber o João, mais 3 contrações o João nasceu, exatamente a 1h08 do dia 25/02/2018. Cordão clampeado e cortado pelo papai. Veio direto p o meu colo, contato pele a pele, a luz apagada (depois eu deixei apagar... Rsrsrrss) Nasceu com 3305g e 51cm. A sensação é indescritível, desde que me interessei pelo assunto nascimento, me preparei para este momento, com o Pedro infelizmente não aconteceu, mas o João me trouxe essa realização! Apesar da episiotomia anterior tive períneo íntegro, mas tive uma laceração no pequeno lábio, tomei uns pontinhos, mas foi tranquilo... Foi um momento único na minha vida, indescritível, inesquecível... Só tenho a agradecer a todos que compartilharam desse momento comigo... Ao Adriano, que mesmo com toda insegurança, me apoiou na decisão sobre nosso filho nascer na nossa casa... A Michelle que compartilhou seu conhecimento e me proporcionou momentos e vivências inesquecíveis... Me senti acolhida e segura... A Ana, tão perdida qto eu em Sorocaba, mas tão certeira em seu trabalho... Só digo que não via a hora de ver a sua mensagem de que havia pousado em Campinas!!! Ao Braulio... Que acompanho o trabalho há anos, que tem a humanização no sangue... É uma das raras exceções entre os médicos!!! Que ao longo de toda a gestação foi me tirando da neblina em que me encontrava depois do nascimento do Pedro. Acho q nem ele sabe, mas mtas feridas foram curadas durante as consultas e isso foi importantíssimo nesse processo todo... E por fim, a Clara, que hj faz 25 aninhos, meu primeiro grande presente, minha parceira de todos os momentos, que desde o início acreditou comigo que viver tudo isso era possível...

15 visualizações

© 2020 por Carla Arruda

Bem Gerar

Seguir

Entre em contato para mais informações

  • Instagram
  • Wix Facebook page

Horário de Funcionamento

Seg - Sex: 08:00 - 20:00
Sábado: 08:00 - 14:00